Zagreb

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Eu vinha adiando essa postagem da viagem porque é tanta coisa que ficaria gigante e confuso, então pensando aqui com meus botões, resolvi dividir por regiões, utilizarei as cidades que foram nossas bases para contar um pouquinho de cada lugar.

No final um slideshow das fotos dos stories!

Vamos começar por ZAGREB, a capital da Croácia!

Quando as minhas tripers me pediram um roteiro para Croácia, elas me mandaram um roteiro de uma grande empresa de turismo, que eu avaliei e discordei de um monte de coisas, como eu já disse anteriormente, esse negócio de passar numa cidade, fazer um city tour de ônibus só pra constar no roteiro, pra mim não vale.

Resumindo, mudei praticamente todo o roteiro e mantive algumas cidades que achei que seriam fundamentais para podermos dizer que conhecemos a Croácia.

Fui reticente com Zagreb, mas para nossa sorte, reservei 2 dias pra ela, visto que nosso voo teve uma conexão de 5 horas em Frankfurt e chegamos de tarde.

Zagreb como todas cidades históricas tem alguns símbolos e que nem precisa muita explicação para entender o motivo.

A Catedral de Zagreb é imensa, linda e imponente, fica no Centro Histórico, na Praça Kaptol.

Foi construída no século XII, destruída e reconstruída várias vezes, devido a terremotos e incêndios, tem estilo gótico, e uma de suas torres está sendo restaurada.

Muito bonita por dentro e por fora. Era Domingo de Páscoa e entramos na hora da missa, um coral maravilhoso, lotada, até as emissoras de televisão locais estavam transmitindo a missa. De arrepiar.

Os detalhes da porta tem esculturas de santos e apóstolos são maravilhosos, por dentro é suntuosa, com muitas figuras sacras e um belo acervo religioso.

Na Praça Kaptol tem um pedestal alto com uma linda imagem da Virgem.

Do Zagreb 360° ou Zagreb Eye, um bar no rooftop do edifício mais alto da cidade, super transado se vê toda cidade, acendendo e do lado oposto ao pôr do sol, que foi maravilhoso, se destaca a Catedral.

Assim como todas da Croácia e Liubliana/ Eslovénia, não tem como conhecer se não for a pé, pode parecer cansativo, mas cada cantinho fora do roteiro turístico descoberto é um presente e é reconfortante

Nosso hotel Best Western Premier Hotel Astoria era super bem localizado, uma pequena caminhada e estávamos na Catedral e na maioria dos points legais da cidade.

Pela manhã tinha uma luz linda, aliás a luz e as cores dessa viagem me impressionaram.

Essa vista com essa luz linda era da janela dos nossos quartos e a segunda foto a vista da rua Acho fundamental, principalmente quando viajamos para locais históricos com acesso de carro restrito, escolher hotel pela localização, nunca escolho uma hospedagem com nota abaixo de 9,0, sempre tendo como referência os centros históricos, para este tipo de viagem.

Nosso hotel também estava a poucos passos do Park Zrinjevac, uma grande área verde onde os moradores de Zagreb vão para relaxar, ler, levar as crianças, cachorrinhos, namorar e caminhar. Sempre movimentado, lindamente emoldurado por tulipas e especialmente decorado para a Páscoa, com esculturas de luzinhas de coelhos.

A marco central do parque é o coreto de música do século XIX, que serve como um palco para concertos, tem também uma estação meteorológica de 130 anos e monumentos em homenagem a famosos croatas como Julije Klović, Andrija Medulić, Fran Krsto Frankopan, Nikola Jurišić, Ivan Kukuljevic Sakcinski e Ivan Mažuranić.

Lá está também a primeira fonte de Zagreb, construída em 1878, popularmente conhecida como “O Cogumelo”.

Fomos atrás da Marija Jurić Zagorka, nascida em 1° de janeiro de 1873, no Reino da Croácia-Eslavônia e falecida aos 84 anos em Zagreb, era escritora, jornalista e ativista pelos direitos das mulheres. Ela é foi a primeira jornalista mulher profissional no sudeste da Europa.

Essa pracinha dedicada a ela fica na entrada da rua mais badalada de Zagreb, a Tkalciceva Ulica, cheia de bares, restaurantes e músicos.

Morro acima, vamos procurar o Stone Gate, a entrada para a Cidade Alta, foi construído no século XIII e restaurado no século XVIII, mantendo as mesmas características até hoje. No seu interior tem uma capela com uma escultura da Virgem Maria onde turistas e locais acendem velas e fazem orações.

Um ladeirão, um “portão” e a nítida impressão de que estamos em outra cidade.

Mais uma subidinha e nos deparamos com a famosa e belíssima Igreja de São Marcos, construída no século XIII, é um dos edifícios mais emblemáticos de cidade. Seu telhado de azulejos coloridos, construído em 1880, tem o brasão medieval da Croácia, Dalmácia e Eslavônia à esquerda, e o emblema de Zagreb à direita.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

O difícil é fotografá-la, os grupos de turistas lotam a frente para que os guias relatem toda a história e eles fotografem, selfies, fotos oficiais, etc. Infelizmente ela estava fechada, como o Museu das Relações Partidas e só descobrimos o motivo em Liubliana, no feriado de Páscoa muitas atrações fecham e em Liubliana que chegamos segunda, também tinha muita coisa fechada, era feriado, eles não tem a sexta-feira santa, eles tem um super feriado na segunda pós domingo de Páscoa.

 

Mais alguns passos e chegamos a Strossmartre, uma promenade, lindamente arborizada, de um lado algumas construções antigas e do outro a vista de Zagreb. Estava no nosso roteiro mas não é daqueles lugares de visita obrigatória, o que a torna mais agradável e com a presença dos locais, que vão namorar, levar as crianças, ler, ler os pets, etc…

E o melhor lugar pra almoçar, tomar um vinho nacional e assistir o footing da capital croata é a Tkalciceva Ulica, a mesma onde está a estátua da jornalista que eu contei acima.

As horas voam, a mente agradece por tanta imagem e o dedo chega a doer de tanto click.

No dia seguinte deixamos Zagreb rumo a Liubliana, capital da Eslovénia.

Zagreb foi uma grata surpresa, antes de todas viagens, aliás meses antes, eu sigo hashtags dos destinos, em busca de dicas e lugares fora do roteiro turístico, de Zagreb achei pouca coisa, poucas fotos legais inclusive.

Mas como vocês puderam ver, pelas fotos que já postei ou pelos stories que eu postava em real time, não faltou motivo, beleza, cor, arquitetura e nem luz, a cidade é belíssima!

E a primavera cumpriu seu papel, a cidade era um jardim de tulipas!

Assistam esse slideshow com os Stories de Zagreb e quem quiser ver as fotos, já sabem onde estão, certo? Não? Então me escrevam que eu digo, tem muita coisa legal 🙂 tatianasapateiro@gmail.com

Este slideshow necessita de JavaScript.

2 comentários

Deixe uma resposta