Velhinha era a minha vó…

WhatsApp Image 2019-05-15 at 22.01.59

Com o envelhecimento da população surge uma nova classificação para a velhice, a quarta idade, composta pela população que tem mais de 80 anos.

Depois de ultrapassar todas barreiras, inclusive a dos 60 anos, que era tão temida, é natural ter muito menos responsabilidades cotidianas. Filhos e netos adultos, é hora de dedicar as horas do seu dia unicamente ao seu bem-estar pessoal.

A maior preocupação deve ser cuidar da saúde física, das boas relações sociais, manter-se ativo e ter sua independência. Viajar é uma ótima maneira de colocar em prática tudo isso simultaneamente, além de ser um estímulo para a saúde mental a descoberta de novos lugares e culturas.

Dicas de viagem para esses privilegiados:

  • Evitar trajetos longos: a primeira dica e muito importante é sobre a duração do trajeto, seja de carro, ônibus ou principalmente de avião. No transporte aéreo, o ideal é evitar conexões, mas isso nem sempre é possível porque diversos destinos não tem voo direto, nestes casos é fundamental que o intervalo entre um voo e outro não seja curto. A maioria dos grandes aeroportos no mundo, os rubs de conexões, inclusive no Brasil, são gigantes e haja perna para “viajar” entre terminais de embarque. Voos com escala, onde não se troca de aeronave, podem ser mais tranquilos, porém extremamente cansativos, afinal avião está longe de ser o local mais confortável do mundo.
  • Planejar roteiros leves: se for se basear num roteiro turístico padrão, reduza pela metade os passeios. Favoreça os passeios a pé, que mantém a atividade física, exercitam a mente com imagens e informações, sempre respeitando o ritmo de cada um. Assim, é possível aproveitar cada lugar com calma e, eventualmente, descobrir atrativos não previstos ou citados em nenhum guia turístico. City tour em ônibus de excursão não! 🙂
  • Consultar um médico antes de viajaré indispensável consultar um médico antes de viajar e fazer um check-up preventivo. Levar as receitas dos remédios de uso contínuo e os remédios com uma quantidade de sobra. E uma dica para quem usa CPAP, levar a prescrição médica por se tratar de um aparelho elétrico que viaja na cabine e que pode ser questionado nas imigrações. Essas são dicas para viagens internacionais, claro.
  • Fazer um seguro viagem: para viagens internacionais é indispensável, independente do país de destino exigir ou não. Aliás, independente de idade, todos estamos sujeitos a acidentes 24 horas por dia e isso fora do Brasil pode custar uma fábula. Além de imprevistos com mala extraviada.
  • Ficar alerta a golpes: golpes em turistas é uma prática que sobrevive desde sempre e idosos são mais vulneráveis e podem ser um alvo fácil. Jamais passe seus dados para desconhecidos, tenha sempre um cartão com informações de endereço do hotel e telefones importantes. E como vocês falaram a vida inteira, vale aquela velha máxima, não aceite bala (nem nada) de estranhos!

O fato é que é diversão garantida, mas minha experiência será tema para outros posts!

Deixe uma resposta