Enjoy Amsterdam!

 

Confesso que não estava na minha lista de prioridades Amsterdam, mas há 3 anos eu cismei que seria a bola da vez.

Comecei a fazer umas pesquisas e entre elas ver passagem. Aliás, isso é fatal, quando encasqueto com um lugar e começo a ver passagem, já era. Mais dia menos dia vem aquele impulso incontrolável e voila, está definido o destino e a data.

26 de abril, foi a ida. De brinde essa é a melhor época para ver as tulipas em Lisse, no Keukenhof, a 40 minutinhos de Amsterdam. São 7 milhões de bulbos de tulipas, plantados à mão, um a um, formando tapetes colorido de tulipas em uma área de 32 hectares. Pensa!!!

Convidei uma amiga, que me enrolou (risos) até o último minuto, mas como ela estava na Itália isso não era um luxo, não precisava antecedência para comprar as passagens.

Passagens compradas, foco no roteiro, achei que fosse sozinha então logo escolhi hotel, segui à risca as dicas do Ricardo Freire e encontrei um hotelzinho na beira do canal Bloemgracht, no bairro Jordaan, transado, cheio de bares, cafés e lojinhas fashion. Localização perfeita e precinho super justo, sem nenhum luxo o Van Onna foi um achado.

Comecei a adicionar tudo que eu via de Amsterdam no Instagram (Dica: o Instagram é uma excelente ferramenta para iniciar e se aprofundar num roteiro, ali você descobre points, restaurantes, hábitos, moda e dicas de locais, através das fotos) e logo encontrei o Daniel Duclos, um brasileiro que vive em Amsterdam e sem exagero nenhum, manja muito da cidade. As sugestões e dicas dele são pro. No link acima tem a história de como ele e a esposa resolveram viver lá e como virou blogueiro, dos bons!

Passado um tempinho minha amiga decidiu ir. Eu havia reservado um quarto no hotel de uma pessoa, o Van Onna tem essa opção. Lá vou eu mudar a reserva. Surpresinha, não tem mais quarto. Ok vou atrás de outro hotel. Não, não tem mais vaga em nenhuma das outras opções que eu considerava, e os preços explodiram.

Tem algo estranho. Dois meses antes e tudo cheio?

Sim, nós íamos chegar na noite que antecede a King´s Party, ou seja, nós, todos os holandeses, vizinhos europeus e o mundo. Fui atrás do que era a King´s Party e descobri que a data nunca poderia ter sido mais perfeita, bendito impulso e benditas tulipas que ficam lindas no aniversário do Rei!

O Hotel Van Onna resolveu a questão, fizeram um bem bolado e minha reserva foi para um quarto de duas pessoas, tudo certo. Quem tem boca vai a Roma e a Amsterdam na Festa do Rei.

Desembarquei em Amsterdam, peguei o trem, busão e cheguei no Jordaan, sozinha, minha amiga só chegava a noite, já na festa.

Foi entardecendo e a cidade que já estava totalmente cor de laranja, foi ficando verde, era difícil você ver alguém sem uma garrafinha de Heineken nas mãos.

O hotel era no “olho do furacão”. O bicho ia pegar!

Depois de tanta pesquisa eu não tinha dúvidas de que eu gostaria de Amsterdam, mas confesso que foi muito além das minhas expectativas. Amei a cidade. A Festa do Rei é um super evento, todo mundo de laranja, muita fantasia, crianças, jovens, idosos, tudo junto e misturado. Durante os 2 dias de festa encontramos com DOIS POLICIAIS, que por sinal estavam em um barco, num canal. A galera fica muito louca sim, mas a educação prevalece. Imagino que devam acontecer vários incidentes, mas não vimos nada. As fotos mostram um pouquinho disso tudo.

O povo é muito gente boa, muito descolado, simpático e bonito.

Fomos fazer o passeio de barco pelos canais, que é sensacional, e para nossa sorte o barco de 12 pessoas foi exclusivamente nosso. Ganhamos um amigo holandês, Jan, nosso capitão, gente finíssima, que mora num barco, o que lá é comum. Sei que tínhamos direito a uma taça de vinho ou uma cerveja, ganhamos uma garrafa, obvio. Ficamos amigas dele, saímos com ele naquela mesma noite e na nossa última noite, fechamos com chave de ouro.

Outra surpresa legal foi encontrar uma amiga daqui de Sampa, que eu não via há anos e nunca mais nos vimos, talvez nos encontremos em outra pais em breve (risos). Para fazer jus a fama de Amsterdam, marcamos num “coofeeshop”, e não foi para tomar café hehe.

Café em Amsterdam você toma nos “koffiehuis”.

Se não entendeu dê um google que vai entender!

E Amsterdam deve ser a capital da bicicleta, simplesmente elas dominam, se você bobeiam passam por cima. E isso facilita muito você andar pela cidade inteira mesmo sem conhecer tão bem. No último dia aluguei uma bike e dei um rolé em todos os lugares que havíamos ido, foi uma despedida de classe!

Resumindo, Amsterdam é um destino bucólico, com seus canais cheios de barcos, suas ruas lotadas de bicicletas, onde você passeia de boa no bairro das prostitutas, anda de tuc-tuc de madrugada na chuva e super bem resolvida na questão do consumo de drogas leves, como maconha e haxixe, inconcebíveis em muitos lugares do mundo. Vale observar que o consumo não é legalizado, é apenas tolerado desde 1978 quando a venda de pequenas quantidades da cannabis foi permitida, sob fiscalização rigorosa.

Se pensa em ir e tem dúvidas, vá tranquilo e já deixei aí a dica de quando, verifique a data da King´s Party, que é flexível e as tulipas vão do final de março a final de maio, só isso já vale a viagem!

Distrito da Luz Vermelha

TATI1698_HDR

King’s Party

TATI1487_HDR

Minha parça e eu no rolé de barco pelos canais (Foto by Jan)

TATI1897_HDR

Meu rolezinho de bike

IMG_4418

E outras, só pra aguçar!

Keukenhof

Deixe uma resposta

Tema: Baskerville 2 por Anders Noren

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: